sexta-feira, 19 de junho de 2009

Dona Natty

Minha mãe sempre falou dessa senhora pra mim, mas nunca tive o prazer de conhecê-la.
Quando foi hoje pela manhã ela esteve aqui em minha casa e eu que fui atendê-la.
Ela é uma senhora branca,pálida, raquítica, de cabelos maltratados e embranquecidos preso num rabo de cavalo. Sua roupa era completamente suja, encardidas e velhas, a sua boca tinha um odor de cachaça e seus dentes completamente podres; ela aparentava ter seus trintas e poucos anos e 1,60 de altura,seus olhos estava meio abatido.Ela tinha consigo uma sacola de uma loja de grife já bem desgastada.
Estava eu e minha mãe e uma irmã minha de consideração, mandei ela entrar e se sentar no sofá e ela não quis preferiu ficar em pé e do lado de fora,minha mãe insistiu mesmo assim ela não quis,então ela tirou uma blusa de crochê e disse a minha mãe que estava vendendo que hoje não tinha nada para comer,perguntei quantos filhos ela tinha e ela respondeu que tinha três dois garotos (10 e 1 anos e 4 meses) e uma garotinha(6 anos) ela pegou um frasco de um perfume da Natura e tirou uma fotografia meio que envelhecida e amostrou uma garotinha muito bonita,perecia até uma indiazinha sentada num carrossel com e com um sorriso bastatente estonteante.Certa vez minha mãe me disse que ela usava drogas,hoje minha mãe perguntou se ela tinha usado algo e ela respondeu que só tinha bebido hoje e que já tinha parado de usar a cocaína.
Dona Natty tirou uma chupeta bem velha da sacola e disse que tinha ido no mercadinho,pediu a um cara que estava no caixa uma chupeta nova para o seu filho e ele disse que não podia dar não,porque ele não era o dono,então ela mandou chamar o dono e a resposta foi não também,então minha irmão de consideração tirou da bolsa e deu R$ 2,00 para compra a chupeta de seu filho.Dona Natty chorou tanto,mas tanto e se ajoelhou de ante a minha irmã e agradeceu e beijou a sua mão,minha mãe foi até a cozinha uma sacola com alguns mantimentos e disse que não iria comprar a blusa e que iria dar aquela sacola,ela deu um abraço tão forte em minha mãe,aquilo me comoveu bastatente também depois ela perguntou se não tinha nenhuma roupa ou calçado de minha subrinha pra dar pros filhos dela,como já tinha uma sacola que minha cunhada separou para levá-lo para o interior eu separei algumas roupas e sapatos que não dá mas em Teté e dei a ela.
Não vou mentir fiquei feliz e ao mesmo tempo triste diante daquela situação,confesso a vocês que eu sou uma garota que me comove com tudo,enquanto eu escrevia esse fato eu chorava,não sei se foi de alegria ou se foi de tristeza,alegria pelo fato de nois termos ajudado e triste pela vida mizeravel que ela passa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores